O Saldo da tua Felicidade

O Saldo da tua Felicidade

Uma senhora de 90 anos, charmosa, bem vestida, delicada, bem penteada e calma, sentiu necessidade de se mudar para uma casa de repouso. O seu marido tinha falecido recentemente e a mudança tornou-se necessário, porque a senhora era invisual e não tinha quem se pudesse ocupar de si a tempo inteiro.

A sua neta mais nova acompanhou-a até à sua nova casa e após alguns minutos de espera na sala a enfermeira veio avisá-las que o quarto já estava pronto.

Enquanto caminhavam lentamente até ao elevador, a neta que já tinha visto o quarto fez a descrição visual à avô:

– Avô, o quarto é pequeno mas muito bonito. Tem mobília branca, uma jarra com rosas vermelhas e uns cortinados cheios de vida.

A senhora sorriu docemente e disse com entusiasmo:

– Adorei querida!

– Mas… a senhora nem viu o quarto! – exclamou a enfermeira.

A senhora interrompeu e acrescentou:

– Minha querida, a felicidade é algo que decidimos antes. Se eu vou ou não gostar do meu quarto, não depende da decoração ou de como os móveis estão orientados, mas sim de como eu o decoro ou de como eu o oriento na minha mente e isso eu já decidi. Por isso, vou gostar”

A enfermeira manteve-se carinhosamente atenta e a senhora continuou:

– Ser feliz é uma decisão que tomo a cada manhã quando acordo. Eu tenho a liberdade de escolher se prefiro passar o dia na cama a pensar nas minhas dificuldades e a lamentar-me das partes do meu corpo que já não funcionam como deviam há muito tempo, ou se prefiro sair da cama cedo e sentir-me grata por mais um dia de vida.

Comovidas, a neta e a enfermeira, continuam a ouvir a senhora:

– Sabes filha, cada dia é um presente e os meus olhos abrem-se para o novo dia através das memórias felizes que armazenei. A velhice é como uma conta no banco de onde só se retira o que lá se colocou antes. Começa a depositar felicidade na tua conta bancária das lembranças felizes para as poderes resgatar sempre que desejares.

Autor Desconhecido

Se te sentes infeliz isso não é culpa dos outros, mas si de ti próprio. Tal como não precisas da permissão de ninguém para ser feliz, também não precisas da permissão de ninguém para ser infeliz. Tratasse apenas de escolher de que lado da equação preferes ficar e que memórias preferes guardar.

A tua vida não é fantástica porque alguém o diz, mas sim porque tu o sentes todos os dias quando acordas.

Ser feliz está nas tuas mãos e só tu podes tomar essa decisão!

Um abraço e pensa nisso 😉

Deixa o teu comentário!

comentários