Tu conheces-me. Eu conheço-me?

Tu conheces-me. Eu conheço-me?

Recordaste que recentemente escrevi um artigo sobre a influência que a tua perceção da relalidade tem no teu futuro?

Hoje decidi trazer-te uma ferramenta chamada Janela de Johari que poderá ajudar-te a mudar esse paradigma.

A Janela de Johari foi um conceito criado por Joseph Luft e Harrington Ingham em 1955 e tem como objetivo ajudar o ser humano a conhecer-se a si próprio. Esta ferramenta também pode ser utilizada no estudo das organizações, mas é ligeiramente diferente da que vou abordar hoje contigo.

Na prática o que é a Janela de Johari?

Basicamente este modelo divide-se em quatro “janelas do teu eu” e mostra aquilo que tu e os que te rodeiam conhecem ou não conhecem de ti próprio.

jan_johari

Eu Desconhecido. Aquilo que nem tu nem os outros sabem sobre ti. Esta “janela” é sinónimo da parte de ti que nem tu, nem os outros conseguem perceber ou não conhecem. Por exemplo, as tuas motivações inconscientes ou a razão dos teus medos ou fobias.

Eu Cego. Aquilo que tu não sabes mas os outros sabem sobre ti. Esta é a “janela” que reflete o que os que te rodeiam percecionam e não te dizem, mas que tu próprio também não tens consciência. Por exemplo, alguns dos teus defeitos ou das tuas virtudes, a forma como falas ou como te relacionas com os outros.

• Eu Escondido. Aquilo que tu sabes e os outros não sabem sobre ti. Esta “janela” é a parte do “teu eu” onde guardas para ti o que não partilhas com os outros. Por exemplo, os teus segredos ou sentimentos.

Eu Conhecido. Aquilo que tu e outros sabem sobre ti. Esta é a “janela” mais fácil de percecionar, mesmo num primeiro contato. É a imagem de ti que passa para o exterior. Por exemplo, os teus comportamentos em público, as tuas caraterísticas pessoas mais notórias, a forma de trabalhar ou a tua opinião sobre determinado assunto.

É normal chamarem-te à atenção de um determinado defeito ou comportamento que costumas ter e tu considerares impossível que tenhas feito ou costumes fazer tal coisa, mas na maior parte das vezes os que te rodeiam estão certos.

É imperativo que confies no feedback que os outros te transmitem, pois se são pessoas da tua confiança só querem o teu bem e a tua evolução.

Nada melhor que pedires ajuda a algumas pessoas da tua confiança para transmitirem a opinião que têm sobre ti. Esta é uma forma humilde e saudável de aprenderes mais sobre ti, melhorares e caminhares para o sucesso.

Lembra-te, a maneira como olhas para ti próprio é muitas vezes o problema que te afasta dos teus objetivos.

Abraço e um dia fantástico para ti 😉

Deixa o teu comentário!

comentários