Um trabalho, três atitudes!

Um trabalho, três atitudes!

Era uma vez, um homem que caminhava a pé por uma estrada e durante o seu caminho encontrou uma obra em construção. Apesar da obra parecer grande e importante apenas encontrou 3 pedreiros a trabalhar.

Curioso com o aparato, o homem decidiu meter conversa com um dos pedreiros:

– Olá, bom dia!

– Bom dia! – respondeu o primeiro pedreiro.

– Que grande obra! Porque é que estão aqui apenas 3 trabalhadores? – perguntou o homem curioso.

– Somos 3 irmãos, sócios da mesma empresa e não temos empregados. – respondeu o primeiro pedreiro.

– Então e o que é que está a fazer? – perguntou o homem.

– Não vê!? Estou a carregar tijolos. É uma tarefa difícil, saturante e faz doer as costas. Estou farto desta vida. – respondeu o primeiro pedreiro.

Não satisfeito o homem decidiu meter conversa com outro dos pedreiros:

– Olá, bom dia!

– Bom dia! – respondeu o segundo pedreiro.

– Que grande obra. O que é que está a fazer? – perguntou o homem.

– Estou a ganhar a vida! É uma vida difícil, mas não me posso queixar. Consigo sustentar a minha família e pagar a educação dos meus filhos. – respondeu o segundo pedreiro.

Ainda curioso o homem decidiu meter conversa com último pedreiro:

– Olá, bom dia!

– Olá! Que belo dia está hoje! – respondeu sorridente o terceiro pedreiro.

– Que grande obra! O que é que está a fazer? – perguntou o homem.

– Estamos a construir uma biblioteca. Temos um longo caminho pela frente, mas quando terminarmos a construção será um motivo de grande alegria e satisfação! – respondeu entusiasmado o terceiro pedreiro.

Autor Desconhecido

Uma empresa, três sócios e três formas diferentes de responder à mesma pergunta.

1. O primeiro pedreiro encarava o trabalho com sofrimento e nenhuma satisfação. Esta atitude levava a que o seu dia fosse saturante e nada motivador.

2. O segundo pedreiro encarava o trabalho com indiferença. A sua única motivação era trabalhar para sustentar a sua família e dar uma melhor educação aos seus filhos.

3. O terceiro pedreiro encarava o trabalho com entusiasmo e satisfação. Desempenhava a sua função com energia, motivação e com o objetivo de concluir as suas tarefas rapidamente.

Se também estás na situação 1 ou 2 é altura de parar, pensar e fazer as seguintes perguntas a ti próprio:

“Gosto do que estou a fazer?”
“Tenho vocação para o que faço?”
“Trabalho por prazer ou por obrigação?”
“É o dinheiro que me motiva a trabalhar?”
“O que é que me leva a continuar a fazer o que faço?”

É importante refletires sobre este tipo de perguntas antes de tomar qualquer decisão. A situação pode ser meramente temporária e um novo desafio dentro da mesma atividade pode mudar completamente o teu paradigma.

Ninguém deve desperdiçar o seu tempo com algo que não lhe traz prazer e o dinheiro nunca deve ser um entrave para a mudança. Manter a mesma profissão apenas por medo ou obrigação é um erro que pode custar a felicidade de uma vida.

Luta pelo que ambicionas e desejas, só assim estás apto para alcançar a satisfação e a realização profissional.

Mudar amanhã pode ser tarde. Muda agora!

Um abraço e pensa nisso 😉

Deixa o teu comentário!

comentários